Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2015

POBRES RICOS *** "The Brazilian elite does not like Brazil and can not cultivate you do not like. If there is contempt, there is no reflection"

Pobres ricos
A geração dos que nasceram após a década de 1990 certamente não vai se lembrar, mas todos os que nascemos antes disso trazemos na memória a fuga de brasileiros rumo aos Estados Unidos em busca de trabalho.

Muitos desses brasileiros saíam ilegalmente rumo aos EUA, sem eira nem beira, para trabalhar no que fosse possível. Obviamente, como eram clandestinos, aceitavam as piores tarefas e as mais baixas remunerações, totalmente excluídos de qualquer tipo de direito trabalhista ou da formalidade.

Como mineiro que sou, e pertencente a uma geração que nasceu na década de 1970, me lembro perfeitamente da menção depreciativa que se faziam da linda cidade de Governador Valadares. O município que abriga o Pico do Ibituruna era conhecido como Governador “Valadólares” em alusão à quantidade de cidadãos que, sem opção de emprego no Brasil, eram impelidos a buscarem dólares americanos para enviar às suas famílias que ficavam por aqui. Em 2002 (último ano do Governo FHC), a cidade tinha 250…

A ditadura de 1964 era militar e empresarial

Imagem
https://iiepmemoriaoperaria.wordpress.com/
A ditadura de 1964 era militar e empresarial Vito Giannotti“A gente sabe como foi. A gente conta, escreve e prova”. Este é o lema do projeto “Contemos nossa história”, sobre a repressão da ditadura de 64 aos metalúrgicos de São Paulo. O projeto resultou num livro imperdível. Trata-se de "A Investigação Operária: empresários, militares e pelegos contra os trabalhadores.” A publicação traz dezenas de depoimentos de lideranças sindicais sobre a perseguição violenta que sofreram por parte do aparelho estatal com a generosa cumplicidade das empresas.

Um exemplo: Harry Shibata foi o médico legista que assinou a autópsia de Vladimir Herzog. Trata-se da principal peça da farsa que transformou o assassinato do jornalista em suicídio. Ele também foi médico da CIPA da Cobrasma (Companhia Brasileira de Materiais Ferroviários). Policial assalariado pela empresa para assinar laudos referentes às mortes de operários que morriam em acidentes em suas depen…

Por que os ricos no Brasil pagam menos imposto que os pobres? *** Why the rich in Brazil pay less tax than the poor?

http://pensata.ig.com.br/index.php/2015/02/24/por-que-os-ricos-pagam-menos-impostos-do-que-os-pobres/

Uma das âncoras de salvamento do segundo mandato da presidenta Dilma Rousseff pode ser retomar aquilo que o ex-presidente Lula sabia fazer como poucos, goste-se ou não do seu governo: conciliar interesses aparentemente inconciliáveis. Em português mais claro, dar uma cravo, outro na ferradura.

Ao optar por um nome como Joaquim Levy para comandar o Ministério da Fazenda, com a promessa de executar um duro ajuste fiscal e resgatar a confiança dos “mercados”, Dilma também pretende manter direitos sociais – ainda que uma das primeiras medidas anunciadas pela nova equipe econômica, tenha sido justamente… a supressão de direitos sociais.

Se quiser ser levada a sério nessa estratégia de frentes múltiplas, a presidenta deveria ouvir o que economistas e especialistas tributários têm alertado – a histórica, perversa e complicada injustiça do sistema de impostos do País.

É um sistema feito para …

Headquartered in the United States, the most indebted country in the world, of which Brazil is currently the fourth largest foreign individual creditor, Moody's is one of those structures set up to sell to the public the illusion that Europe and the US still are the center of world capitalism and a perfect model for economic and social development of the species, which distributes from the center to the "periphery", formed by inept and lagging states, recommendations and "notes" essential to the solution of their problems and the human journey into the future.

A "nota" da Petrobras e a "nota" da Moody's De que vive a Moody´s? Basicamente, de “trouxas” e de conversa fiadahttp://www.jb.com.br/coisas-da-politica/noticias/2015/02/25/a-nota-da-petrobras-e-a-nota-da-moodys/

A agência de classificação de “risco" Moody´s acaba de rebaixar a nota de crédito da Petrobras de Baa2 para Ba2, fazendo com que ela passe de "grau de investimento" para "grau especulativo".

Com sede nos Estados Unidos, o país mais endividado do mundo, de quem o Brasil é, atualmente, o quarto maior credor individual externo, a Moody´s é daquelas estruturas criadas para vender ao público a ilusão de que a Europa e os EUA ainda são o centro do mundo, e o capitalismo um modelo perfeito para o desenvolvimento econômico e social da espécie, que distribui, do centro para a "periferia", formada por estados ineptos e atrasados, recomendações e "notas" essenciais para a solução de seus problemas e a caminhada humana ru…

In neoliberal government, poor Brazilians fled the country and immigrated to the US and Japan to clean latrines and delivering pizzas. Today, it is the elite who flees to Miami. This is an emblematic and symptomatic difference. The elite is unsatisfied, and through the media to convince the people to go against their own interests. As these collaborators can not declare its agenda clearly, to oppose Labour that, like it or not, lifted Brazil to a position never before achieved, appeal to the old subterfuge of denunciation against corruption. As if they were immaculate. Corruption is inherent in the human and capitalism. We can minimize it, but eradicate it would be creating a new species. Hence the ease of using a perpetual agenda, to an eternal battle against corruption of his enemies. To friends, a curtain of silence is enough. The claim that "never stole so much" and etc. is as smart as a crack user. No matter how the cow eats, but the milk you produce. The militating against the Brazilian Labour and in favor of the coup media do not know the cliff that are pushing the country. And may never know, because they are part of this mass, this herd. And the shepherds lead the sheep to eat it later.

Imagem
Os interesses nacionais e o colaboracionismo nas democracias
O império Persa da antiguidade, após duas tentativas malfadadas de submeter as cidades-Estado Gregas, passou a utilizar um estratagema que surgiu junto coma a democracia: distribuir seu ouro àqueles que se oporem aos governos Gregos para causar instabilidade política. Desde então, esta tem sido uma prática comum, porém sombria, de se disputar espaço político em nações a serem conquistadas ou subjugadas cultural e economicamente. Os que se prestam a este serviço poderíamos chamar de colaboracionistas ou de traidores dependendo da ética e posição de quem os julga.

Durante a ocupação nazista da França, parte do povo Francês preferiu o caminho mais fácil de colaborar com os invasores até mesmo denunciando seus compatriotas da resistência. Quando da restauração do governo aliado, muitos deles foram devidamente executados como traidores. Ainda durante a era nazista, agentes alemães distribuíam ajuda financeira aos seus simpatizantes…

Varoufakis vs. Piketty: a clash to watch What makes the new Greek Finance Minister harsh to criticize the French teacher, author of The Capital in the XXI Century '.

Varoufakis vs. Piketty: um embate para prestar atenção O que leva o novo ministro da Fazenda grego a fazer críticas duríssimas ao professor francês, autor de 'O Capital no Século XXI'. Por Antonio Luiz M. C. Costa http://www.cartacapital.com.br/economia/varoufakis-vs-piketty-um-embate-para-prestar-atencao-7643.html
É raro economistas de esquerda serem ouvidos pela mídia, quanto mais levados a sério, mas dois deles conseguiram essa façanha nos últimos meses: o francês Thomas Piketty, autor deO Capital no Século XXI e o grego Yanis Varoufakis, novo ministro da Fazenda de seu país. Ambos estão conquistando fã-clubes que não se resumem a colegas de profissão e despertam o interesse de políticos e militantes de esquerda em todo o mundo. Seria de se esperar que suas ideias fossem semelhantes ou complementares. Mas não os convide para a mesma mesa: o ministro grego é um crítico duríssimo do professor francês. Em artigo publicado na Real-World Economics Review, chega a chamá-lo de “O ú…

Piketty - What good tax the consumption of Bill Gates or Warren Buffett, who, incidentally, was astonished when he saw that paid less income tax than his secretary. If Bill Gates and Buffet have an income of one billion dollars or ten billion dollars will continue to consume no more than two cheeseburgers for lunch ... just Taxing consumption will be an incentive for the rich interfere in the electoral process and fund candidates...

http://www.conversaafiada.com.br/economia/2015/02/10/piketty-haras-resende-e-o-hsbc-na-suica/
Como se sabe, o ansioso blogueiro procura acompanhar a deslavada roubalheira que se produziu na seção suíça do banco HSBC que, aqui, no Brasil, nos tempos risonhos do Príncipe da Privataria, incorporou o Bamerindus na bacia das almas.

(Clique aqui para ver o que faltou no necrológio do José Eduardo Vieira, que era dono do Bamerindus e contribuiu para o caixa Dois do FHC.)

A última novidade é a senadora Elizabeth Warren, do Partido Democrata – mais corajosa que toda a bancada do PT no Senado -, quer a Justiça americana em cima dos americanos que lavavam dinheiro no HSBC.

No New York Times dessa terça-feira (10/02) sabe-se que a Justiça americana vai processar os bancos Barclays, JPMorgan Chase, the Royal Bank of Scotland, Citigroup, Deutsche Bank, Goldman Sachs (do Paulo Leme), Credit Suisse, BNP Paribas and Société Générale por manipulação com moedas.

A fina flor do 1% em plena atividade – ilega…

Therefore, we can say that the recent success of China, India and Brazil, among other emerging economies, is not fully (or at all) associated with the adoption of policies "pro-market". On the contrary, is intrinsically related to strong role of the state, protectionist measures, foreign capital control, among other illiberal policies. In this sense, the current governments of Brazil and India should consider the past before proceeding with its economic reforms.

http://politike.cartacapital.com.br/?p=559
Países emergentes “pró-mercado” são mais bem sucedidos? 

Porque China, Índia e Brasil são exemplos recentes de países que tiveram crescimento expressivo do PIB sem recorrer a medidas neoliberais 

Nos últimos meses, Brasil e Índia anunciaram mudanças relevantes em suas políticas econômicas. Duas das maiores potências emergentes do mundo, os países têm adotado abordagem mais favorável ao mercado do que na década passada. O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, tem implementado reformas liberais em tentativa de renovar a confiança do mercado, aumentando investimento externo direto no país. A nação asiática também afrouxou algumas restrições ao capital estrangeiro no setor de segurança, além de dar mais independência ao sistema bancário. Em dezembro, o governo brasileiro adotou regras mais rígidas para a obtenção do seguro-desemprego, com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, constantemente defendendo ajustes fiscais, controle de gastos público…

People are content with partial and incomplete information and begin to find yourself able to opine on everything. This is natural and is part of the brain that economy, to have to deal with an avalanche of information, calls for clichés and common sense. We can not speak in sustainability and continue with our lifestyle. However, change of lifestyle implies affect the economy as a whole, after all consume less, recycle and reuse more things implies reduction of capital and productive slowdown flow. But if we consider that this lifestyle is concentrating most of planetary resources in elite increasingly tiny, as demonstrated by Thomas Piketty in his book "The capital in the XXI century" (I recommend reading), it is necessary to reconsider this style.

ENTREVISTA CONCEDIDA PELO CONDE AO JORNAL FOLHA DA MANHÃ DE CAMPOS DOS GOYTACAZES, RJ,  NO DIA 06/02/2015

1) Você pode comentar um pouco sobre as conseqüências dessa devastação das árvores – como é o panorama atual, sob seu ponto de vista? Você acha que é possível reverter essa extinção?

R. Podemos apenas estimar o número de espécies que foram e/ou estão sendo extintas enquanto conversamos. A verdade é que o conhecimento humano quanto à biodiversidade corre contra o tempo: quanto mais sabemos, menos temos a saber com o que sobrou. De qualquer modo, a cada árvore que se vai, todo um patrimônio genético evolutivo de milhares de anos se perde e potenciais remédios aos males humanos também.

É possível reverter ou ao menos desacelerar este quadro? Creio que sim. Mas para isso temos que assumir a tarefa de deter nosso consumismo desenfreado, mudar nossos padrões de vida e toda a economia. O custo de se reflorestar e deter a devastação das florestas deve ser assumido por todos.

2) Você pod…

HSBC profited by harboring dictators of money and international criminal The leaked files refer to accounts of 106 thousand customers of 203 countries in total , with more than $ 100 billion in deposits

HSBC lucrou ao abrigar dinheiro de ditadores e criminosos internacionais
Os arquivos vazados se referem a contas de 106 mil clientes de 203 países que, ao todo, possuem mais de U$ 100 bilhões em depósitos

Documentos secretos repassados ao Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação revelam que o banco britânico HSBC lucrou ao fazer negócios com pessoas nas listas de sanções internacionais, ditadores, traficantes de diamantes e armas entre outros criminosos internacionais.

As informações foram divulgadas neste domingo 8 e dizem respeito ao ramo suíço do banco britânico, revelando supostos esquemas de evasão fiscal. A investigação, batizada "Swissleaks", revela documentos fornecidos por Hervé Falciani, ex-funcionário do HSBC em Genebra, ao jornal francês Le Monde e compartilhados com o consórcio e com jornalistas de mais de 40 países.

Os jornalistas analisaram cerca de 60 mil fichas, algumas das quais com informações que denunciam que o banco tinha conhecimento de práti…

GLOBO MANDOU REMOVER TODAS CITAÇÕES A FHC EM REPORTAGENS SOBRE LAVA JATO

http://www.conversaafiada.com.br/pig/2015/02/09/grampo-globo-blinda-fhc-ze-e-gilmar/

GLOBO MANDOU REMOVER TODAS CITAÇÕES A FHC EM REPORTAGENS SOBRE LAVA JATO

O jogo da informação

É por aí que se entende a campanha da mídia em busca do impeachment.

Os vícios do modelo político brasileiro afetam todos os partidos. Mais ainda o governo FHC com a compra de votos e as operações ligadas ao câmbio e à privatização. A gestão Joel Rennó foi das mais controvertidas da história da empresa.

Ao tornar o noticiário seletivo, os grupos de mídia conspiram contra o direito à informação, centrando todo o fogo em uma das partes e blindando todos os malfeitos dos aliados.

Ontem, a diretora da Central Globo de Jornalismo, Silvia Faria, enviou um e-mail a todos os chefes de núcleo com o seguinte conteúdo:
“Assunto: Tirar trecho que menciona FHC nos VTs sobre Lava a Jato

Atenção para a orientação

Sergio e Mazza: revisem os vts com atenção! Não vamos deixar ir ao ar nenhum com citação ao Fernando Henrique”.

O recado s…

A CRISE HÍDRICA EM SÃO PAULO E O MERCADO *** The WATER CRISIS IN SÃO PAULO AND THE MARKET

Imagem
A CRISE HÍDRICA EM SÃO PAULO E O MERCADO A falta d’água em São Paulo é uma crise previamente anunciada? Talvez sim. Independentemente da sazonalidade das secas ou mesmo de uma possível mudança climática, conseqüência do consumismo desenfreado de nossa sociedade, devemos atentar para um detalhe que a grande mídia teima em ignorar: a ganância do mercado e do capital desregulado. Se considerarmos que, no ato da abertura de capital da SABESP, a ANA (Agencia nacional de águas) recomendou que se efetuassem investimentos na interligação dos reservatórios e na captação de novas fontes para evitar o que se passa hoje na maior cidade do hemisfério sul. Acontece que, desde 2004, todo o lucro da SABESP foi para seus acionistas e nenhum investimento foi feito. Agora, buscam recursos públicos equivalentes ao lucro bianual da SABESP. Como sempre, a lógica neoliberal é a de privatizar lucros e socializar prejuízos. Isto se repete sempre. Se não, vejamos: no Rio de Janeiro, é ao Estado que a privatiz…