Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2015

It has to be very alienated not realize that neoliberalism is an ideological instrument of the elite to maintain and expand their privileges. By following the recipe of the "Chicago Boys" in Greece showed that someone always pays the bill, and this one has never belong to elite, the elite that is responsible for any resulting speculative crisis of his boundless greed. Incidentally, this elite enriches with the bill paid by Greek people.

http://www.jb.com.br/marcus-ianoni/noticias/2015/01/27/a-esperanca-grega-vence-o-medo/
A esperança grega vence o medo A vitória da Syrisa (sigla grega para Coalizão da Esquerda Radical), liderada por Alexi Tsipras, nas eleições parlamentares do último domingo, sobre a governista Nova Democracia (ND), tendo à frente o primeiro-ministro Antonis Samaras, é um acontecimento político efetivamente novo, tanto na Grécia, como em toda a Europa. A grande novidade é que o Syrisa é uma agremiação emergente da esquerda radical, um partido que, em apenas pouco mais de uma década de existência, tornou-se, recentemente, o mais popular do país. Seu programa eleitoral defendeu o perdão de metade da dívida da República Helênica e a renegociação do restante. Isso significa um enorme desafio às políticas de austeridade impostas ao país, desde a crise de 2010, pelas instituições europeias, a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu, e internacionais, o Fundo Monetário Internacional (FMI), que compõem a…

Rio newspaper does not like poor In another summer afternoon temperature of almost 35, cariocas enjoying a beautiful sunny afternoon, I take leave of the students and return another lesson to continue my research. It is then I get from a friend an unfortunate article written for the newspaper The Globe columnist Silvia Pilz - discomfort zone. A heinous and prejudiced text, written by a person who can not accept that the disadvantaged have access to "rich of things," or rather, can not accept the poor get access to the same services and rights that were the elite.

Imagem
Jornal carioca não gosta de pobre Em mais uma tarde de verão, temperatura de quase 35º, cariocas curtindo uma linda tarde de sol, me despeço dos alunos e retorno de mais uma aula para continuar minhas pesquisas. É então que recebo de um amigo um infeliz artigo escrito para o jornal o O Globo da colunista Silvia Pilz – Zona de desconforto. Um texto hediondo e preconceituoso, escrito por uma pessoa que não consegue aceitar que os menos favorecidos tenham acesso às “coisas de rico”, ou melhor, não consegue aceitar que pobre tenha acesso aos mesmos serviços e direitos que antes eram da elite. O texto de Silvia apresenta diversos estereótipos negativos relacionados à pobreza. Segundo Silvia, todo pobre tem problema de pressão, é viciado em usar plano de saúde, gosta de hospitais e exames porque ganha lanchinho para tirar sangue, além de ir para os laboratórios para poder pisar no piso de porcelanato e usar o ar condicionado. Ainda segundo a colunista, o pobre é preguiçoso, pois quando tira s…

Doação eleitoral privada ameaça democracia

OCDE: Doação eleitoral privada ameaça democracia Elo com contratos públicos 'preocupa profundamente'. Suspeita eleva descrença em governos. TSE vê 'tentativa de compra do parlamento' no Brasil por André Barrocal
No apagar das luzes de 2014, uma comissão especial de deputados tentou aprovar uma espécie de “liberou geral” na compra e posse de armas. Dos 24 titulares da comissão, oito foram financiados na eleição de 2010 pela Associação Nacional das Indústrias de Armas e Munições. Entre eles, o presidente, Marcos Montes (PSD-MG), e o primeiro e segundo vices, Guilherme Campos (PSD-SP) e João Campos (PSDB-GO). Na recente campanha, Montes e Guilherme foram mais uma vez eleitos com apoio do setor, via doações da Companhia Brasileira de Cartuchos. A tentativa de revogar o Estatuto do Desarmamento seria fruto apenas da crença pessoal de certos parlamentares ou uma retribuição de alguns deles aos patrocinadores?

Este tipo de suspeita espalha-se pelo mundo. No início de dezembro, …

Com o bolivarianismo, a Globo passou a perna no editor

Imagem
http://jornalggn.com.br/noticia/com-o-boliviarismo-a-globo-passou-a-perna-no-editor
Com o bolivarianismo, a Globo passou a perna no editor -  Em 1962 a Globo associou-se ao grupo Time-Life, em um momento em que as redes norte-americanas tentavam se internacionalizar. Recebeu cerca de US$ 6 milhões, a dólares da época, e um know-how imbatível de operação.

Foi beneficiada por uma CPI conduzida por João Calmon, dos Diários Associados, que levou os gringos a venderem sua parte. O próprio Roberto Marinho adquiriu com financiamento do Banco Nacional autorizado por José Luiz de Magalhães Lins.

***

Em 1980 as verbas publicitárias para a televisão já representavam 85% do total de tudo o que se anunciava no país. Sobravam 15% para a rapa. Desses 85%, a Globo ficava com 85%, contra 11% da TV Tupi e 4% das demais emissoras.

O modelo comercial e político, os pactos com o mercado publicitário, tudo foi tão bem sucedido que a Globo sempre conseguiu fatias de publicidade superiores aos seus índ…

Análise do livro "Melhor que o filme" de Fernando Ceylão by Conde de Liertland

Imagem
O novo livro de Fernando Ceylão é interessante. Tem contos bem humorados com um estilo característico do autor: escreve como se estivesse transcrevendo um discurso interno. Períodos rápidos e texto fluído. De brinde, desenhos inteligentes que lembram o estilo Millôr Fernandes. Alguns contos bem que seriam filmáveis.

In short, Saudi Arabia produces too much to lower the price and so harm Iran and Russia, their virtual enemies. As its production cost is low, can withstand the damage temporarily. And toast, tests the new American energy industry had high cost to explore shale. The US energy independence is a risk to the Saudi monarchy, which exchange energy per security for them. If this is not a "dumping", which is it?

O petróleo despenca, e a Arábia Saudita sorri O governo de Riad perde com a queda de preços, mas celebra instabilidade no Irã e teste à nova indústria petrolífera norte-americana por José Antonio Lima READ MORE: http://www.cartacapital.com.br/internacional/o-petroleo-despenca-e-a-arabia-saudita-sorri-3244.html
COMENTÁRIO DO CONDE:
Resumindo: a Arábia Saudita produz demais para baixar o preço e assim prejudicar o Irã e a Rússia, seus inimigos virtuais. Como seu custo de produção é baixo, pode suportar o prejuízo temporariamente. E de brinde, testa a nova indústria energética Americana que teve alto custo para explorar o xisto. A independência energética dos EUA é um risco para a monarquia Saudita, que troca energia por segurança para eles.
Se isso não é um "dumping", o que é então?

Savings and income concentration in the world and in Brazil

Imagem
http://jornalggn.com.br/noticia/poupanca-e-concentracao-de-renda-no-mundo-e-no-brasil
Poupança e concentração de renda no mundo e no Brasil
O tema é um tanto técnico, mas vale a pena tentar compreender.

Trata-se da questão da desigualdade de renda no mundo, objeto de estudos de dois grandes pensadores: Thomas Piketty, o economista francês que se tornou best-seller, e o norte-americano Joseph Stiglitz, ambos críticos da concentração de renda.

Stiglitz – em artigo publicado ontem – questiona algumas interpretações dos estudos de Piketty. “Creio que a maioria dos leitores do livro de Thomas Piketty ficam com a impressão de que a acumulação de riqueza — poupança — é a responsável pelo aumento da desigualdade e que há, portanto, de certa forma, uma ligação entre crescimento da economia — a acumulação de capital — de um lado, e desigualdade e riqueza”, diz Stiglitz. “Meu ensaio começa com a observação de que, na verdade, não se pode explicar o que tem acontecido na relação entre riqu…